terça-feira, 12 de novembro de 2013

O Fim do Romantismo e da Revolução, do Império e da Utopia

0 comentários
 

"Em qualquer caso terão acabado as “épocas quentes”, trágicas, de aceleração histórica. Teríamos que nos resignar, conformar, aceitar este fim do Romantismo e da Revolução, do Império e da Utopia. Condicionados pelas condições geopolíticas objectivas, pela demografia, pelos recursos, não temos mais capacidade de romper o ciclo da dependência, em termos de sujeição ao modelo dominante na área onde nos situamos. Ou seja, não há projecto, para além das gestões alternativas propostas a nível da classe política; e, não havendo projecto, a não ser em modos de anti, de tipo resistencialista ou hermético, é difícil, nestes dias, qualquer mobilização de massas, qualquer acção dramática ou revolucionária."

Jaime Nogueira Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário

 
© 2013. Design by Main-Blogger - Blogger Template and Blogging Stuff